• Equipe Teruel

Degradação incremental

Qualidade, qualidade, qualidade: jamais a perca de vista, mesmo quando achar que não tem condições de mantê-la. Quando se acomoda, você se transforma em uma commodity e morre. — GARY HIRSHBERG, FUNDADOR DA STONYFIELD FARM

Acredite se quiser, mas muitos produtos de chocolate encontrados nas prateleiras dos supermercados não são mais “ chocolate ao leite” — eles se transformaram em “ doces achocolatados”. O que mudou?


Para fazer chocolate de alta qualidade, você precisa comprar grãos de cacau de alta qualidade, que são moídos para produzir manteiga de cacau. A manteiga de cacau é então combinada com açúcar, água e emulsificantes, que ajudam os óleos da manteiga de cacau a se misturarem à água açucarada. Feito isso, o chocolate líquido é aquecido, vertido em moldes e resfriado para produzir o chocolate sólido.


Ao longo dos anos, os fabricantes de chocolate para o mercado de massa decidiram utilizar ingredientes mais baratos para reduzir os custos e aumentar a lucratividade. Em vez de comprar grãos de cacau de alta qualidade, eles passaram a comprar grãos mais baratos de fontes medíocres — quem notaria? Depois eles substituíram a manteiga de cacau por óleos vegetais — ao ponto de os órgãos reguladores de alimentos os proibirem de continuar chamando o produto resultante de “ chocolate ao leite”. Eles adicionaram mais emulsificantes, preservantes e outros aditivos químicos para impedir o “ chocolate” de se desfazer ou derreter e para fazê-lo durar para sempre na prateleira do supermercado.


Apetitoso, não?


Poupar dinheiro não leva a nada se você destruir a qualidade da sua oferta. Na ocasião, essas medidas de “ economia de custo” não pareceram ter um grande impacto sobre a qualidade do chocolate — elas pareciam ser um Trade-off justificável. Com o tempo, contudo, os efeitos Acumulados prejudicaram o sabor e a qualidade do produto. As pessoas notaram e os fabricantes também: agora você pode comprar versões “ premium” contendo os ingredientes de alta qualidade originais.


Executivos de contabilidade e Finanças desenvolveram sua reputação de “ calculistas” concentrando-se principalmente no corte de custos — reduzir despesas na tentativa de aumentar a lucratividade de uma oferta ou negócio. Cortar custos pode ajudá-lo a aumentar sua Margem de Lucro, mas a tática muitas vezes vem acompanhada de um preço alto.


Se a sua meta for aumentar sua lucratividade, há um limite para o corte de custos. Criar e entregar valor sempre custará pelo menos algum dinheiro, de forma que você pode cortar custos só até certo ponto antes de começar a reduzir o valor da sua oferta. Sem dúvida, é uma boa ideia cortar custos supérfluos ou desnecessários, mas os Retornos Decrescentes (que discutiremos mais adiante) sempre se farão presentes — cuidado para não jogar fora o bebê junto com a água do banho.


Criar e entregar mais valor é uma maneira muito mais eficaz de melhorar seus resultados financeiros. Você jamais poderá gastar menos que nada, mas não há um limite para o valor que você pode proporcionar ou a receita que pode gerar.


Controle os seus custos, mas cuidado para não enfraquecer a razão pela qual os clientes escolhem comprar de você.


Fonte: http://book.personalmba.com/incremental-degradation/


#venhaparateruelcontabilidade

#suaempresaemboasmãos

#amelhormarcaéacredibilidade

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo